Poesia Portuguesa

Poemas em Português



Poema Esparsa

Não vejo o rosto a ninguém,
cuidais que sou, e não sou.
Sombras que não vão nem vêm,
parece que avante vão.
Entre o doente e o são
mente cada passo a espia;
no meio do claro dia
andais entre lobo e cão.


Poema Esparsa - Sá Miranda