Poesia Portuguesa

Poemas em Português



Poema Prazer! Prazer! oh Falso, oh Bandoleiro!

“Prazer! Prazer! oh falso, oh bandoleiro!
Que fugindo te ausentas
De nós, sem saudade, e tão ligeiro:
As penas nos aumentas,
Se, mal que te acolhemos, já nos deixas”.
Eis que o lindo Prazer tão suspirado
Me responde: – Que vãs são tuas queixas!
Aos Numes graças rende, que hão criado
O Prazer breve: que, a ser eu comprido,
Me houveram (certo) para si retido.


Poema Prazer! Prazer! oh Falso, oh Bandoleiro! - Filinto Elísio