Poesia Portuguesa

Poemas em Português



Poema A uma Dama com quem Andava de Amores

Jogando com Paulinha o toque-emboque,
Porque me punha em ré, usou de treta;
Um cabe me armou, coube a palheta,
Morre ela que de ilharga só lhe toque.

Eu disse: “- Cabe peço, toque-emboque.”
Mas antes que co’ as bocas arremeta,
Por me falar à mão, diz: “- Não se meta,
Por culos, dois da minha que se emboque.”

Endireito a palheta em tão boa hora,
Sem buscar tijolinho, e segurei-me,
Dando-lhe ora por dentro, ora por fora.

Virou-se para mim, eu alegrei-me
Dizendo-lhe: “- Essa volta me namora.”
Toquei-lhe as bocas do aro e emboquei-me.


Poema A uma Dama com quem Andava de Amores - Tomás Noronha