Poesia Portuguesa

Poemas em Português

As Ventoinhas

A mulher é um catavento, Vai ao vento, Vai ao vento que soprar; Como vai também ao vento Turbulento, Turbulento […]

Os Arlequins – Sátira

Musa, depõe a lira! Cantos de amor, cantos de glória esquece! Novo assunto aparece Que o gênio move e a […]

O Verme

Existe uma flor que encerra Celeste orvalho e perfume. Plantou-a em fecunda terra Mão benéfica de um nume. Um verme […]

Última Folha

Musa, desce do alto da montanha Onde aspiraste o aroma da poesia, E deixa ao eco dos sagrados ermos A […]

Lúcia

(Alfred de Musset) Nós estávamos sós; era de noite; Ela curvara a fronte, e a mão formosa, Na embriaguez da […]

Embirração

(A Machado de Assis) A balda alexandrina é poço imenso e fundo, Onde poetas mil, flagelo deste mundo, Patinham sem […]

As orações dos homens Subam eternamente aos teus ouvidos; Eternamente aos teus ouvidos soem Os cânticos da terra. No turvo […]

Stella

Já raro e mais escasso A noite arrasta o manto, E verte o último pranto Por todo o vasto espaço. […]

As Rosas

Rosas que desabrochais, Como os primeiros amores, Aos suaves resplendores Matinais; Em vão ostentais, em vão, A vossa graça suprema; […]

Noivado

Vês, querida, o horizonte ardendo em chamas? Além desses outeiros Vai descambando o sol, e à terra envia Os raios […]

Musa dos Olhos Verdes

Musa dos olhos verdes, musa alada, Ó divina esperança, Consolo do ancião no extremo alento, E sonho da criança; Tu […]

Manhã de Inverno

Coroada de névoas, surge a aurora Por detrás das montanhas do oriente; Vê-se um resto de sono e de preguiça, […]

Cantiga do Rosto Branco

Rico era o rosto branco; armas trazia, E o licor que devora e as finas telas; Na gentil Tibeima os […]

Lágrimas de Cera

Passou; viu a porta aberta. Entrou; queria rezar. A vela ardia no altar. A igreja estava deserta. Ajoelhou-se defronte Para […]

Menina e Moça

Está naquela idade inquieta e duvidosa, Que não é dia claro e é já o alvorecer; Entreaberto botão, entrefechada rosa, […]

Lua Nova

Mãe dos frutos, Jaci, no alto espaço Ei-la assoma serena e indecisa: Sopro é dela esta lânguida brisa Que sussurra […]

Quando Ela Fala

Quando ela fala, parece Que a voz da brisa se cala; Talvez um anjo emudece Quando ela fala. Meu coração […]

Flor da Mocidade

Eu conheço a mais bela flor; És tu, rosa da mocidade, Nascida, aberta para o amor. Eu conheço a mais […]

Os Semeadores

Vós os que hoje colheis, por esses campos largos, O doce fruto e a flor, Acaso esquecereis os ásperos e […]

A Jovem Cativa

(André Chenier) – “Respeita a foice a espiga que desponta; Sem receio ao lagar o tenro pâmpano Bebe no estio […]

Página 1 de 212