Poesia Portuguesa

Poemas em Português


Poema Dedicatória

A quem não basta a vida, a quem procura
as luzes escondidas de outra noite
deixo dedicatória e pronta fuga
da treva que nos ronda até à morte.

Mas já não sei mentir. Ruim figura.
Durou o nosso enredo uma só noite.
Teu corpo eu aprendi nessas escuras
sombras a que não chega nem a morte.

A quem não basta a vida, a quem engana
essa réstea de luz dentro da noite
deixo dedicatória e abro os olhos:
que tudo nos é dado de repente.

E num feixe de sombras imprecisas
arde o que resta a quem não basta a vida.

Poema Dedicatória - Luis Filipe Castro Mendes