Poesia Portuguesa

Poemas em Português


Poema Alma Humana, Formada de Coisa Nenhuma

Anjo:

Alma humana, formada
de nenhüa cousa, feita
mui preciosa,
de corrupção separada,
e esmaltada
naquela frágoa perfeita,
gloriosa;
planta neste vale posta
pera dar celestes flores
olorosas,
e pera serdes tresposta
em a alta costa
onde se criam primores
mais que rosas;

planta sois e caminheira,
que ainda que estais, vos is
donde viestes.
Vossa pátria verdadeira
é ser herdeira
da glória que conseguis:
andai prestes.
Alma bem-aventurada,
dos anjos tanto querida,
não durmais;
um ponto não esteis parada,
que a jornada
muito em breve é fenecida,
se atentais.

(…)

Adianta-se o Anjo, e vem o Diabo a ela [Alma], e diz o Diabo:

Tão depressa, ó delicada,
alva pomba, pera onde is?
Quem vos engana,
e vos leva tão cansada
por estrada,
que somente não sentis
se sois humana?
Não cureis de vos matar,
que ainda estais em idade
de crecer.
Tempo há i pera folgar
e caminhar…
Vivei à vossa vontade,
e havei prazer.

Gozai, gozai dos bens da terra…
Procurai por senhorios
e haveres…
Quem da vida vos desterra
à triste serra?
Quem vos fala em desvarios
por prazeres?
Esta vida é descanso
doce e manso,
não cureis doutro paraíso.
Quem vos põe em vosso siso
outro remanso?

Alma:

Não me detenhais aqui!
Deixai-me ir, que em al me fundo!

Diabo:

Oh descansai neste mundo,
que todos fazem assi!
Não são embalde os haveres,
não são embalde os deleites,
e fortunas;
não são debalde os prazeres
e comeres:
tudo são puros afeites
das criaturas:

pera os homens se criaram.
Dai folga à vossa passagem
d’hoje a mais:
descansai, pois descansaram
os que passaram
por esta mesma romagem
que levais.
O que a vontade quiser,
quanto o corpo desejar,
tudo se faça.
Zombai de quem vos quiser
reprender,
querendo-vos marteirar
tão de graça.

Tornara-me, se a vós fora,
is tão triste, atribulada,
que é tormenta.
Senhora, vós sois senhora
emperadora,
não deveis a ninguém nada.
Sede isenta.

(excerto)

Poema Alma Humana, Formada de Coisa Nenhuma - Gil Vicente