Poesia Portuguesa

Poemas em Português

Pequena Elegia de Setembro

Não sei como vieste, mas deve haver um caminho para regressar da morte. Estás sentada no jardim, as mãos no […]

Urgentemente

É urgente o amor É urgente um barco no mar É urgente destruir certas palavras, ódio, solidão e crueldade, alguns […]

Desde a Aurora

Como um sol de polpa escura para levar à boca, eis as mãos: procuram-te desde o chão, entre os veios […]

Quase Nada

O amor é uma ave a tremer nas mãos de uma criança. Serve-se de palavras por ignorar que as manhãs […]

Obscuro Domínio

Amar-te assim desvelado entre barro fresco e ardor. Sorver o rumor das luzes entre os teus lábios fendidos. Deslizar pela […]

Último Poema

É Natal, nunca estive tão só. Nem sequer neva como nos versos do Pessoa ou nos bosques da Nova Inglaterra. […]

Litania

O teu rosto inclinado pelo vento; a feroz brancura dos teus dentes; as mãos, de certo modo, irresponsáveis, e contudo […]

No Fim do Verão

No fim do verão as crianças voltam, correm no molhe, correm no vento. Tive medo que não voltassem. Porque as […]

Adeus

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor, e o que nos ficou não chega para afastar o frio de […]