Poesia Portuguesa

Poemas em Português

Aniversário

No tempo em que festejavam o dia dos meus anos, Eu era feliz e ninguém estava morto. Na casa antiga, […]

Dois Excertos de Odes

(Fins de duas odes, naturalmente) I Vem, Noite antiquíssima e idêntica, Noite Rainha nascida destronada, Noite igual por dentro ao […]

Às Vezes Tenho Idéias Felizes

Às vezes tenho idéias felizes, Idéias subitamente felizes, em idéias E nas palavras em que naturalmente se despegam… Depois de […]

Mas Eu

Mas eu, em cuja alma se refletem As forças todas do universo, Em cuja reflexão emotiva e sacudida Minuto a […]

A Praça

A praça da Figueira de manhã, Quando o dia é de sol (como acontece Sempre em Lisboa), nunca em mim […]

Na Casa Defronte

Na casa defronte de mim e dos meus sonhos, Que felicidade há sempre! Moram ali pessoas que desconheço, que já […]

Aproveitar o Tempo

Aproveitar o tempo! Mas o que é o tempo, que eu o aproveite? Aproveitar o tempo! Nenhum dia sem linha… […]

O Dia Deu em Chuvoso

O dia deu em chuvoso. A manhã, contudo, esteve bastante azul. O dia deu em chuvoso. Desde manhã eu estava […]

Sou Eu

Sou eu, eu mesmo, tal qual resultei de tudo, Espécie de acessório ou sobressalente próprio, Arredores irregulares da minha emoção […]

A Fernando Pessoa

(Depois de ler seu drama estático “O marinheiro” em “Orfeu I”) Depois de doze minutos Do seu drama O Marinheiro, […]

Demogorgon

Na rua cheia de sol vago há casas paradas e gente que anda. Uma tristeza cheia de pavor esfria-me. Pressinto […]

Eu

Eu, eu mesmo… Eu, cheio de todos os cansaços Quantos o mundo pode dar. – Eu… Afinal tudo, porque tudo […]

Opiário

Ao Senhor Mário de Sá-Carneiro É antes do ópio que a minh’alma é doente. Sentir a vida convalesce e estiola […]

A Minha Alma Partiu-se

A minha alma partiu-se como um vaso vazio. Caiu pela escada excessivamente abaixo. Caiu das mãos da criada descuidada. Caiu, […]

Página 5 de 512345